Estratégias Para Mídias Sociais

Aqui no blog da Ativa já abordamos a importância do Inbound Marketing, que se baseia em fornecer conteúdo relevante e educativo ao seu público-alvo, para que ele se torne seu lead e, depois, seu cliente. Falamos sobre técnicas de SEO para blogs e sites e, agora, vamos falar especificamente de estratégias para mídias sociais. Quando falamos de mídias sociais, neste caso, nos referimos a Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube, Google+, etc. Para iniciar um planejamento de geração de conteúdo relevante e de qualidade para estas redes, seguimos um ciclo ordenado: pesquisa, desenvolvimento e análise. Vamos ver cada um deles separadamente:

#Pesquisa
Que conteúdo publicar? Como ter ideia do impacto que irá causar e do feedback eu irá gerar?
Bem, para iniciar, faça monitoramento das redes e canais de estejam ligados ao seu negócio, observando o que estão fazendo e o que têm causado mais resultados. E para saber o que você procura, antes, é preciso definir o que deseja alcançar: aumentar visitantes no site? Aumentar curtidas no Facebook? Converter mais leads? Fechar mais clientes? Encantar os atuais clientes? Enfim, defina a meta e comece a pesquisa! Estas pesquisas também são fundamentais, pois permitem conhecer melhor os hábitos e gostos das suas buyer personas (clientes ideais). Assim, é possível realizar uma conexão mais direcionada e assertiva com eles.

#Desenvolvimento
A fase de desenvolvimento do conteúdo que você apostou ser o melhor para determinado momento é sua oportunidade de demonstrar que está por dentro e tem novidades interessantes sobre os assuntos que suas buyer personas se interessam. É preciso ter cuidado com o que e como você publica, pois faz toda a diferença na percepção que seu púbico terá da sua marca. É interessante que, antes de iniciar suas publicações, a equipe responsável defina os padrões de linguagem, imagens e frequência que irá usar nestas publicações, bem como padrões para respostas e feedbacks que irão representar a marca.

Estas definições são fundamentais, pois você tem um grupo de profissionais atuando sobre o mesmo objetivo. Seria falta de organização se cada um deles respondesse a seus clientes de um jeito diferente. A marca necessita de um padrão com algumas variáveis aceitáveis, como um estilo próprio de linguagem e comunicação. Lembrando, também, que cada rede social possui fluxos e termos diferentes a usar. Por exemplo, no Facebook utilizam-se “hashtags”, enquanto no Twitter utilizam-se “@” para criar links de compartilhamento. Outro exemplo, no Twitter: esta rede é ideal para ideias e atualizações curtas, comentários relevantes, nada muito extenso.

Portanto, aceita uma quantidade máxima de 140 caracteres numa publicação e vale a pena manter-se abaixo disso. Assim como vale a pena investir em palavras-chave impactantes, um link curto que leve a outro material mais completo, também em vídeos e imagens para ser mais criativo e atrativo.
No caso do Facebook, já pode-se alcançar os 250 caracteres e passar uma mensagem mais completa, entretanto, manter-se dentro das 80 palavras e ser criativo com links, imagens e vídeos. Interaja, crie quizzes, peça opiniões, descontraia.

Já no caso de assuntos mais sérios, vamos ao LinkedIn: ideal para conexões profissionais e conteúdo rico e longo. Este é o local para publicar um case de sucesso completo da sua empresa, por exemplo. No Facebook este tipo de notícia deve estar abreviada, com link ao LinkedIn. Se tiver um vídeo empresarial para mostrar, coloque um link que permita que a pessoa veja o vídeo ali mesmo ou, melhor ainda, que direcione para sua página no YouTube. Assim, sua buyer persona já terá visitado 3 das suas redes sociais só utilizando estes links.

No LinkedIn, não fale apenas da sua empresa, publiquei artigos confiáveis e relevantes sobre o seu setor, o mercado, assuntos que você identificou lá na fase da pesquisa que são interessantes às suas buyer personas. Mantenha-se relevante e interessante! Para usar os termos corretos (palavras-chave), bem, eles são variáveis, por isso as pesquisas e o monitoramento devem ser constantes. Mas comece dando preferência aos que as pessoas provavelmente mais utilizam para encontrar sua marca, e não os que você gostaria que usassem.

E lembre-se também de não invadir postagens “empurrando” o seu produto ou serviço para as pessoas. Mas sim, aproveite oportunidades de se envolver em diálogos quando citam a sua marca e você pode responder de forma a ganhar a simpatia e a confiança de alguém.
Afinal, as redes sociais são cruéis. Agiu errado, já era. Pelo menos por um tempo, até que alguém faça algo pior e o seu erro saia de cena. Entretanto, se agir certo, ganhará uma bela moral entre os usuários da rede.

Se você estiver numa fase mais avançada e já tiver um determinado grupo de leads ou clientes ao qual deseja divulgar um novo produto, por exemplo, pode fazer grupos fechados nas redes e enviar e-mails a estas pessoas com link de acesso, convidando a participar e dar sua opinião sobre a novidade.
Neste caso, outra dica. Lembre-se de que deve relacionar-se com cada pessoa de forma especial para que saibam que são realmente importantes para sua marca. Nada de copiar e colar respostas prontas para todos. É preciso dar atenção individual, ainda que a quantidade de feedbacks seja bastante grande. As pessoas são exigentes!

E quanto à frequência de publicações?
Este fator também é importante. Existe uma média que você pode utilizar no início para testar. Mas é fundamental verificar os resultados de envolvimento do público constantemente para adequar uma frequência de publicações particular da sua marca. A média é:

Twitter – 4 a 6 vezes por dia
Facebook – 2 vezes por dia
LinkedIn – 2 vezes por semana
YouTube – 1 vez por semana (dependendo do seu serviço ou produto).

Se assustou com a quantidade? Acha que não vai dar conta de fazer tudo isso? Bem, é preciso recorrer às programações e tudo ficará mais leve. Faça planilhas com as publicações de toda a semana (ou do mês, se possível) e antecipe a preparação de cada uma, programando suas datas e horários.
Pode acontecer de precisar mudar alguma em cima da hora, claro, mas aí o trabalho será bem mais tranquilo e prático.

#Análise
E para finalizar, faça análises e monitoramentos para avaliar os resultados e planejar como melhorar naquilo que não obteve a eficácia desejada. Para estas verificações, as próprias redes sociais oferecem ferramentas que contém um histórico das suas publicações e o engajamento sobre cada uma. O Facebook, por exemplo, faz uma análise prática e bem completa.

Você também pode utilizar outras ferramentas de monitoramento de acordo com os dados específicos que deseja analisar, como:

Google Analytics
TweetReach
Cyfe
Hootsuite
AgoraPulse

Calcule o ROI (Return On Investment)
Também é importante calcular qual foi o retorno do seu investimento (ROI). Este cálculo é uma métrica viável quando você está investindo dinheiro nas redes sociais e deseja saber a porcentagem de retorno do seu investimento. Entre outras vantagens, ele serve para:

– Apresentar o quanto o investimento em marketing contribui para o crescimento da empresa;
– Planejar o prazo de retorno deste investimento;
– Modificar metas comerciais com base em dados reais;
– Motivar e engajar a equipe apresentando números e estabelecendo metas;
– Apontar dados sobre investimentos que não estejam gerando retorno e talvez possam ser cortados ou substituídos por outras estratégias.

De acordo com as dicas do site Meu Sucesso, faça o cálculo da seguinte maneira: subtraia o ganho obtido a partir do investimento pelo investimento inicial e, em seguida, divida esse resultado pelo investimento inicial. A fórmula fica assim:
ROI = (Ganho obtido – Investimento inicial) / Investimento inicial
Por exemplo, se o ganho obtido foi de 500.000 reais e o investimento inicial foi de 100.000 reais, então:
(500.000 – 100.000) / 100.000 = 4

Isso significa que o retorno foi de quatro vezes o investimento inicial. Para estabelecer o ROI em forma de porcentagem, multiplique o resultado do cálculo acima por 100. No exemplo citado, o retorno sobre investimento foi, então, de 400%. Lembre-se que o valor do investimento inicial deve incluir o dinheiro gasto em todo o processo e o tempo despendido. Assim, toda e qualquer despesa, por menor que seja, tem que ser incluída se o objetivo é ter um resultado preciso.

Muito bem, com estas dicas você já pode planejar estratégias para mídias sociais que estejam dentro da realidade do mercado e possam, realmente, trazer resultados para a sua marca. Sim, todos estes processos são trabalhosos e devem ser feitos com muita atenção, dedicação e frequência. As Redes Sociais se tornaram mesmo fonte de Negócios. E as pessoas que nelas estão, são muito mais do que números, são relacionamentos duradouros.
Bons negócios!