Dicas da neurociência para melhorar sua concentração

Distraídos por natureza e dotados de funções cognitivas, os seres humanos precisam de uma mente ativa e concentrada. Mas como conseguir tal feito em uma era digital repleta de aplicativos, senhas e códigos?

Para ajudar você a melhorar sua capacidade de concentração, seja no trabalho ou nos estudos, confira algumas dicas de neurociência para o bom funcionamento do seu cérebro:

Escute música – mas não a sua favorita.

Exercicio_mental

Além de contribuir bloqueando ruídos do ambiente, ouvir música auxilia no processo de relaxamento e concentração. Segundo Carla Tieppo, professora da FCMSC – SP (Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo), é melhor ouvir um repertório que você já conheça. Assim, o seu cérebro não tem a necessidade de se distrair tentando identificar uma música totalmente nova.

Antes de montar a sua playlist também vale outra dica: não escolha nada que você goste demais ou deteste. Pesquisadores de Taiwan descobriram que sentimentos excessivamente positivos ou negativos criados pela “trilha sonora” tiram o foco do trabalho. O melhor a fazer é escolher músicas às quais você seja um tanto indiferente, mas que não sejam desconhecidas.

Permaneça alimentado e hidratado.

Exercicio_mental_1

Estar satisfeito é essencial para manter a concentração. Não há necessidade de lanchar algo muito pesado ou em grande quantidade. Basta uma fruta ou um suco entre suas principais refeições. O importante é fornecer ao seu organismo energia suficiente para o trabalho e não distrair-se com um estômago que “não pare quieto”.

Um experimento realizado por pesquisadores ingleses mostrou que pessoas com sede demoram mais tempo para completar tarefas do que aquelas que estão bem hidratadas; demonstrando assim a necessidade de ter sempre uma garrafinha de água perto de você.

Movimente-se.

Exercicio_mental_0

Fazer atividade física com frequência não é importante apenas para ter um corpo mais bonito e saudável. De acordo com um estudo da University of Illinois, a prática de atividade aeróbica pode desenvolver partes do cérebro ligadas à atenção e à memória.

Escreva à mão.

Exercicio_mental_5

O excesso de presença da tecnologia leva muitas pessoas a esquecer do original combo: papel e caneta. Mal sabem elas que há uma grande vantagem em anotar suas ideias usando este velho método.

Segundo pesquisa das universidades de Princeton e da Califórnia, quem escreve informações à mão tem maior facilidade de compreendê-las e também de memorizá-las do quem as pessoas que digitam. A explicação é que o processamento de dados ocorre de forma mais superficial ao se usar o teclado, diz o estudo.

Procure meditar.

Exercicio_mental_3

Em tempos de pilhas de informações e demasiados estímulos, esvaziar a mente pode parecer difícil, mas os benefícios são incontáveis!

Ao analisar o córtex cerebral de praticantes de meditação, pesquisadores americanos constataram que a prática aumenta a capacidade de fixar a atenção, além de auxiliar o estímulo da memória e facilitar a tomada de decisões do dia a dia.

Durma o suficiente.

Exercicio_mental_2

Pessoas que conseguem dormir ao menos sete horas por noite têm atividade cerebral superior àquelas que passam menos nos sonhos, afirmou o médico Daniel Amen à revista Men’s Health.

As sonecas também auxiliam na concentração durante o dia. Segundo um estudo conduzido por pesquisadores australianos, adultos que dormem por 90 minutos após o almoço experimentaram ganhos em memória e capacidade de aprendizado.